Ação popular pede o afastamento da atual diretoria do Conselho Federal de Engenharia

 

O Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) está sendo questionado por uma ação popular que solicita às autoridades a anulação das eleições que escolheram, em 2017, a atual diretoria da entidade.
Movida pelo engenheiro José Manoel Ferreira Gonçalves, ativista que defende reformas nos modelos de concessões de infraestrutura no país e ex-conselheiro do CREA/SP, a ação foi encaminhada na última semana à Vara Federal de Brasília.
Ele contesta as eleições que levaram o engenheiro Joel Krüger, do Paraná, à presidência do Confea, com base em irregularidades como a prática do voto em trânsito adotada no último processo eleitoral, que não está prevista no regulamento da entidade.
A ação indica diversos nomes de associados cujos votos não deveriam ser efetuados. Vários eleitores em situação irregular votaram, e o resultado das eleições, mesmo contando com aparato eletrônico, demorou 13 dias para ser anunciado, sendo conhecido apenas após o Natal de 2017.
No Paraná, estado do atual presidente do Conselho, a ação chama a atenção para o número desproporcional de votos, com indícios de adulteração. Denúncias do gênero aconteceram também em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul. A própria Comissão Eleitoral Federal reconheceu irregularidades graves em dois estados (MG e RJ), determinando anulação de votos e instauração de processos disciplinares.
A ação também alega abuso de poder da atual gestão, que teria utilizado funcionários do Confea e feito propaganda irregular na campanha eleitoral.
“O que pretendemos restaurar com essa ação não é apenas a lisura das eleições, mas a capacidade de o Confea dialogar com a sociedade em um momento tão crítico como o que enfrentamos”, completa o engenheiro José Manoel Ferreira Gonçalves.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *